quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

FESTA DE COMPADRES 2009


“Dos Peros à Sidra”


Mais uma vez, a Casa do Povo de São Roque do Faial participará no próximo dia 15 de Fevereiro na tradicional Festa dos Compadres no centro da cidade de Santana, mais concretamente no cortejo etnográfico que percorrerá as principais ruas de Santana, a partir das 15 horas daquele dia.

O tema escolhido por esta Casa do Povo para este ano é: Dos Peros à Sidra. Pretendemos assim mostrar e valorizar aquilo que se faz em São Roque do Faial dentro desta temática. Na parte alta da freguesia mais concretamente no sítio do Ribeiro Frio e da Achada do Cedro Gordo, existe grande extensão de pereiros. Devido ao clima e à grade quantidade daquelas árvores de fruto, a produção de peros é abundante sendo superior às necessidades para consumo. Então, uma das alternativas é a produção de sidra para consumo familiar ou mesmo para comercializar. Nos bares existentes nos referidos sítios é uma das bebidas procuradas, havendo mesmo quem venda para outras superfícies comerciais fora da freguesia. Existe agricultores que fazem dezenas de baris de sidra, tantos são os peros que possuem…

A abrir a nossa representação irá um carro alegórico, forrado com verdura de cedro, típico da nossa freguesia. Nele irão algumas pessoas a pisar os peros para daí extrair o mosto de sidra. Atrás do carro irá um grupo transportando os cestos utilizados nos terrenos para a apanha e transporte dos peros. Depois haverá os que transportam a sidra em borrachos, pipas, potes, medidas, garrafões, etc. Ao longo do percurso daremos um pouco de sidra às pessoas que o desejarem.

A finalizar irá o nosso Grupo Recreativo entoando algumas canções como meio de entretenimento e para mostrar um pouco daquilo que se vai fazendo em prol da música e do folclore infantil na nossa terra.

1 comentário:

antonio moreira disse...

Caro amigo Heliodoro:

Já sei que está ausente para a Turquia, mas digo-lhe que gostaria estar nesta festa dos compadres porque também gosto imenso de sidra.
Um abraço e cumprimentos

António Moreira